sexta-feira, 13 de setembro de 2013

DENTRO DO TEMPO



Um passo por dentro do tempo
Ligeiramente para trás                                                

Alterando a ordenação das horas
Contendo seculares invernias
Negando séculos sedimentados na espera  


Move-se o tempo
                   e o mundo inquieta-se

Estranhando o esplendor que na dor desponta
                                 num clarão de transparência fulminante


«Existem ainda versos por escrever
Palavras talvez por soletrar
                                               Nossos nomes
                                                 Nossos próprios nomes»



Um passo para dentro de um mundo
Um tempo anterior  

Destituindo interditos silêncios
Desfazendo a desordem das eras 
Reconstruindo na recorrência de um caos 
primitiva representação


Move-se o mundo
                   e o tempo inquieta-se

Estranhando a luz que da luz irrompe


«Existem gestos interrompidos
Promessas talvez por iniciar
                                                   Nosso tempo
                                                      Nosso único tempo»



.

15 comentários:

  1. Dentro do tempo

    dentro de mim

    a história, a vida

    as páginas que em mim

    ficaram, inscritas:

    esperas

    inquietudes...

    Versos a serem

    palavras

    nomes nossos

    silêncios vestidos de invernos

    gestos interrompidos

    mas a luz irrompe

    nosso tempo único a continuar...

    Grata por este tempo único a ler-te, sempre especial!!

    Bjo.

    ResponderEliminar
  2. Dentro do tempo, move-te poeta a imensidão das coisas que apenas a tua pena consegue aprisionar...

    Ave, Mestre!

    ResponderEliminar
  3. Um tempo antes de chegar. Tantas coisas por dizer... Um poema que antecede o poema.

    Como sempre belo.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Voltando nas eras
    Chegando em compassado tempo
    O tempo que desordena o tempo
    O degelo que degela sem espera
    (os jardins submergidos pelo frio)

    Irrompe o Sol sem aviso que dúvida
    Na dúvida da luz que não se contém
    Erguendo-se em chamas
    Tanto falta por ser
    Tanto para ser.
    “Nós”
    Tantos sonhos por escrever,
    Na chegada a um amanhecer
    Em encontradas terras.

    Uma voz que com acordes,
    Acorda o mundo, reinicia os tempos num ” mítico” início….
    Singular, único, mágico.

    Um poema, onde a paixão ou o sonho falam de momentos únicos
    Que só a tua poesia consegue transmitir de uma forma inigualável e bela.

    Sempre um prazer imenso,
    ler-te
    Adorei, a perfeição de cada verso, cada palavra.

    (que nos deixa desejando mais)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. E que bom seria se o tempo deixasse de ser tempo, e dar tempo para que no tempo tudo pudesse acontecer.

    Gostei muito, poeta.
    abraço
    cecilia

    ResponderEliminar
  6. Eu devo ser a única que não compreende o tempo...

    ResponderEliminar
  7. Difícil entender o tempo, mas enquanto ele existe há tempo de escrever os versos ainda não escritos e de viver o que ainda não foi vivido, mas que está escrito...algures.
    beijo
    Stela

    ResponderEliminar
  8. Querido Poeta

    Mesmo que fosse nosso todo o tempo do mundo, ficariam sempre palavras por dizer e gestos que suspensos nas mãos e sonhos perdidos de nós.
    Mas uma coisa vai ficar para sempre...as tuas palavras.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  9. Fosse possível este quimera...

    Abraços, poeta

    ResponderEliminar
  10. Estou passando para deixar meu carinho
    ler seu comentário que tão bem faz para o meu coração.
    Eu amo acarinhar você mesmo sendo trazendo uma colinha
    mais certamente acredita que do seu blog
    carrego cada mensagem comigo.
    Fico feliz de ser privilegiada
    com sua dedicada amizade.
    Deus abençoe sua semana beijos milhões
    de carinhos na alma.
    Evanir..

    ResponderEliminar
  11. Só tu para amares o tempo que está para lá de ti. Só tu para o parares e nele construíres um outro tempo/mundo. Só tu para deste tempo intangível fazeres acontecer coisas tangíveis. Só tu e o teu versejar...

    Como sempre, um encantamento ler e reler...

    Bjo, amigo Filipe :)

    ResponderEliminar
  12. dentro do tempo existem passos
    fora de tempo
    e dentro do tempo existem trilhos
    que os passos seguem dentro do destempo
    de outro tempo e outros tempos
    em nós...

    ResponderEliminar
  13. Como podemos, alguma vez, aprender a contar o tempo, se há eternidades que cabem num minuto?

    Muito belo!

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. "Um passo para dentro de um mundo", frase instigante e talvez abra um clarão para acompanhar a sempre irrepreensível leitura do Porta Sonhos, para quem quer e deseja estar num mundo mágico e místico.
    Aqui eu faço maratonas dentro de um mundo, um mundo ancestral, pré-histórico, sinto-me decifrando inscrições rupestres, nas paredes das cavernas de Lascaux, Altamira, ou 'dos complexos do Vale do rio Côa e do Vale do Tejo', é aqui que essa ancestralidade grita e me conduz a esse ritual mágico, como faziam os hominídeos do Paleolítico Superior. É como se só agora, só aqui eu soubesse o valor, o sentido, o significado da liberdade, e explode a vontade de me eternizar, de me contar, em desenhos, em necessidade de me perpetuar, dado a sua capacidade de simbolizar com a escrita tudo o que ela causa em mim; ou dado a sua capacidade de fazer vibrar em mim toda a emoção a partir da simbologia incontida na sua escrita.
    Vibrante, provocadora, reflexiva, comprometida. Tua poética, minha saliva; tuas "seculares invernias", a pele que me protege do frio; o "clarão de transparência fulminante", o meu sangue que corre quente nas veias; nos teus "séculos sedimentados na espera", fiz a "ânfora da Dinamarca", para guardar águas que nos mataria a sede, quando aqui chegamos todos, ávidos da tua poesia.

    ´A-r-r-e-b-a-t-a-d-o-r, como soem ser os seus textos!

    Meu beijo, querido!

    ResponderEliminar