segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O Tempo Das Horas







«Há no tempo         um destinado mundo
Há no mundo          um aguardado tempo»


No verso
A Tua voz            
           
                             Verbo onde me escuto        me acolho        me espero  

                             Onde me digo


                                                                    «Improrrogável é o tempo
                                                            Sem horas
                                                                             E o gesto que me erguerá»



Assim    em mãos tuas       me entrego
Assim     nascerá               O movimento
                                                              que ao preciso lugar me há-de levar



«Infindável espera em devir incerto
Incontinuável tempo nas horas revelado»


No verbo
Minha voz

                              Verso em que te recebo     te clamo     te escrevo

                              Em que te grito

                                                                       «Inadiável é o tempo
                                                              das horas
                                                                               E o verso que nos erguerá»



.

7 comentários:

  1. Inadiável é o tempo ... por isso não adiemos a vida.

    bjo

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Simplesmente adorável a maneira como você colocou os versos.Pude ler e seguir o ritmo.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderEliminar
  3. O tempo! Medito...
    O mundo! Vejo...
    A voz! Ouço...
    A palavra! Escrevo...
    O gesto! Faço...

    Linhas de força no teu poema,
    a vida que (se) movimenta.
    a espera que não (te) espera...

    (Já tinha lido; hoje, deixo um leve comentário...)
    Puro deleite, ler-te!
    Bjo :)

    ResponderEliminar
  4. Esse elemento implacável, o tempo; essa força que mobiliza, o sentimento; a melodia que hipnotiza, a voz; isso que arrebata, a poética; isso que envolve, o poema; isso que sentimos quando aqui estamos: emoção!

    Beijo, Filipe!

    ResponderEliminar
  5. Tempo, apenas uma palavra. Voz, a possibilidade de manifestação. Verso, a composição que nos enleva e que realça todos os sentimentos.

    Obrigada por retribuir a visita.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Pouco é o tempo para dizermos, do tempo sua voz, que é a do poeta, que verso a verso, vai desfolhando seu ser/sentir, despindo o fato humano, que o veste e descaracteriza. Filipe, meu amigo, uma vez mais, em teu blog, lendo tua excelente poesia. Parabéns!

    Abraços meus.
    Jorge Humberto

    ResponderEliminar
  7. sendo suspeita porque adoro a tua poesia direi: és grito em verso que nos ergue.

    ResponderEliminar